“…a vida é pequena e o Mundo é grande!” | Fim-de-semana em Esposende

Entre mar, rios e monte, Esposende possui paisagens de grande beleza natural e apresenta-se como “um privilégio da Natureza”. Não fica difícil de perceber o motivo. Um território enriquecido pelas tradições, pela cultura e pela excecional gastronomia.

Esposende é um destino bastante completo, que atrai não só pessoas às suas praias, como também aos diversos percursos pedestres, passeios a cavalo, atividades naúticas como o windsurf e o surf e claro, a gastronomia.

Durante a nossa passagem por Esposende tivemos oportunidade de vivenciar de quase tudo um pouco.

Um dos percursos que fizemos foi o do Caminho da Memória. Inicia-se na vila de Fão e faz-se primeiramente pela marginal do Rio Cávado, seguindo-se até a Restinga do Rio Cávado. Todo o percurso leva-nos a descobrir espaços únicos e de grande diversidade e riqueza paisagística. Passamos também pela Praia de Ofir de grande extensão, de areias finas e contornada por dunas.

Prosseguindo um pouco para sul, seguindo a estrada que nos leva para Apúlia, encontramos o Lugar da Bonança, onde visitámos o Facho e Capela da Senhora da Bonança. Em tempos funcionou como farol para os navegantes e mais tarde como presídio. Muito perto, encontra-se a Capela da Senhora da Bonança, onde os homens do mar pedem proteção para as suas atividades piscatórias.

De regresso a Fão, fizemos uma paragem estratégica na Pastelaria Clarinhas, o sítio ideal para provar as famosas Clarinhas, pastéis de massa fina em forma de meia lua, recheados com doce de chila. Assim um pequeno pecado dos deuses!

E afinal, onde se pode comer bem durante este passeio todo?

O concelho de Esposende presenteia-nos com uma gastronomia baseada nos peixes e mariscos da zona, mas além do grande universo de pescado que é capturado, comercializado e confecionado pelo concelho, também é possível optarmos por um bom prato de rojões à Minhota na Rita Fangueira.

Um dos pontos a visitar também em Esposende é o Museu Marítimo, a funcionar no edifício do Instituto de Socorro a Náufragos de Esposende. Aqui se reune um vasto espólio histórico, cultural e sentimental evocando a memória da comunidade marítima. Durante a nossa visita, tinham em exposição “A Pesca no Rio e no Mar de Esposende”, prestando homenagem à classe piscatória do concelho. Faça a visita guiada e fique a saber mais sobre todas estas tradições. Ao passar por aqui não deixe de subir até ao último piso, ao torreão, onde poderá desfrutar de uma vista panorâmica privilegiada sobre a cidade, estuário e foz do Rio Cávado.

A Gastronomia em Esposende é riquíssima, garantido um vasto reportório de paladares numa cozinha dominada pelos sabores do mar.

Um dos cartões de visita do concelho é o Robalo: peixe muito versátil que tanto abrange cozinhas mais tradicionais como as mais inovadoras.

Foi na Escola Profissional de Esposende que juntamente com os Chef formadores da escola preparamos o nosso jantar nesse dia e, claro, a estrela da noite seria o Robalo.

Para acompanhar os deliciosos pratos não faltaram os vinhos da Quinta de Curvos, uma das mais fantásticas Quintas do Minho.

A nossa estadia foi no Hotel Suave Mar, requintado e tranquilo junto à Fóz do Rio Cávado. Além de piscina, corte de ténis, parque infantil, ginásio, no exterior têm a possibilidade de se praticar diversos desportos náuticos e motorizados.

No nosso segundo dia por Esposende aproveitámos para conhecer o famoso Castro de S. Lourenço, um povoado fortificado, no qual foram encontrados vestígios que rumam ao séc. IV a.C. As antigas construções do povoado foram devastadas ao longo dos séculos, essencialmente devido à recolha de pedra e terraplanagens. Ainda assim, é possível ter uma ideia razoável de como seria o povoado aquando a sua edificação: era protegido por duas ordens de muralhas e as habitações originais seriam de planta sub-circular.

Nas imediações do Castro não deixe de visitar a Capela de S. Lourenço e admirar a paisagem no miradouro.

Após a nossa visita pelo Castro de S. Lourenço, fomos até a Apúlia almoçar no Restaurante Camelo, com uma vista fantástica para a praia e moinhos da Apúlia.

Para a nossa refeição não podia faltar um dos ex-libris da região, o Robalo, e no formato de um arroz caldoso fez as nossas delicias.

Para terminar o nosso passeio por Esposende, não podíamos deixar de visitar a lendária Barca do Lago. Enquanto não se fez uma ponte sobre o Rio Cávado, era através de uma barca que ligava as duas margens que atravessavam os peregrinos que se deslocavam para Santiago de Compostela, num vai-e-vem constante conforme havia gente para atravessar.

Mais recentemente, a Barca do Lago perdeu a sua função de ponte do Rio Cávado e ganhou outra atratividade de lazer. É Belmiro Penetra, ex-canoísta olímpico, que manobra o leme e o responsável por reconstruir a barca. O passeio de barca é perfeito para desfrutar de momentos de serenidade e harmonia com a natureza.

Esposende é sem dúvida um privilégio da Natureza e onde a gastronomia representa um dos maiores atrativos turísticos.

Não podemos de deixar de agradecer ao Turismo de Esposende pelo convite e por nos ajudar a conhecer este belo concelho com tanto para fazer e descobrir.

Vemo-nos em breve!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s